Filosofia ARRASO

Que tal ser um mergulhador ARRASO? É sempre prazeroso ouvir um elogio e na linguagem popular essa palavra traz a ideia de algo excelente, um sucesso, que gera satisfação e felicidade. Para muitos praticantes da atividade, essa expressão vai além, e já se tornou um estilo de vida. A filosofia ARRASO reúne as habilidades essenciais para a prática do mergulho com segurança, conforto e, claro, muita diversão.


ATITUDE

Em primeiro lugar, é importante entender que a atividade não se restringe a estar debaixo d'água para ver peixinhos. O mergulho exige um comprometimento do praticante, que aprende a superar seus limites e a evoluir como pessoa. Por isso, é fundamental desenvolver a atitude de mergulhador, ou seja, preocupar-se com a segurança e o bem-estar próprios e de seu dupla; investir em treinamentos e em equipamentos pessoais adequados; trabalhar em equipe; responsabilizar-se pelo meio ambiente. Um bom mergulhador ainda respeita seus limites físicos, fisiológicos e, principalmente, o tempo e a profundidade do mergulho.


RESPIRAÇÃO

Ela parece uma ação tão simples e comum! Mas é de extrema relevância para a atividade. Durante um mergulho, a respiração é afetada por diversos fatores com os quais o mergulhador precisa se adaptar. Segundo Aurélio Buarque de Holanda, respirar é fruir, desfrutar; é realizar as trocas necessárias para gerar a energia indispensável à manutenção da vida.


RESPIRAR

Esta é a habilidade mais importante que um mergulhador pode desenvolver, pois facilita sua adaptação ao meio subaquático. Nenhuma outra impacta mais o conforto e a segurança de seu mergulho. Respirar acalma, relaxa, evita o aumento do consumo de ar, dá mais capacidade de lidar com situações de estresse que possam surgir, além de diminuir a necessidade de lastro.


AQUACIDADE

Estar em um meio 800 vezes mais denso que o ar exige, no mínimo, algumas habilidades extras do praticante. Dentre elas, está a aquacidade, que é a capacidade de o mergulhador controlar sua flutuabilidade, englobando seu posicionamento, a distribuição correta do lastro, seu deslocamento e o domínio da respiração.


STRESS

Manter a calma, controlar a respiração e a aquacidade em uma situação desconfortável - por exemplo, na água fria ou ao perder a máscara - exige preparo. É importante saber "parar, pensar e agir" em situações adversas, que podem acontecer antes, durante ou depois da atividade. Lembre-se que imprevistos ocorrem, mas é preciso saber como reagir diante deles para evitar acidentes.


ORIENTAÇÃO

Ninguém gosta de se sentir perdido ou desorientado. Seja dentro ou fora d´água. Por isso, o mergulhador deve saber planejar seu retorno ao barco, independente do tipo de mergulho - costão, perfil quadrado, multinível, lajeado etc. Ele deve estar bem treinado, atento ao meio, e observando tudo para aproveitar a atividade da melhor maneira possível. Um bom planejamento começa antes mesmo de entrar na água e garante o sucesso da operação.